Comercializadoras veem migração ao mercado livre maior no 2° semestre

A migração de consumidores para o mercado livre de energia deve voltar a crescer na segunda metade do ano, segundo executivos das comercializadoras. Com a queda no preço da commodity, o ambiente livre está mais atrativo.

“O ritmo de migração reflete, principalmente, o preço da energia e como neste mês o preço despencou, isso tornou o mercado atrativo”, diz o presidente da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), Reginaldo Medeiros.

O Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) recuou 9% para 93,90 por megawatt/hora (MWh) nos mercados do Norte e Sudeste/Centro-Oeste no período de 10 a 16 de junho, conforme dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Em igual período de maio, o PLD estava fixado em R$ 145,62/MWh no Norte e R$ 470,11/MWh no Sudeste/Centro-Oeste. “A previsão de afluências em todo o Sistema, ainda mais otimista frente à expectativa, é o principal fator para a redução do PLD”, informa a CCEE, em nota.

O sócio-diretor da Ecom Energia, Paulo Toledo, também espera a retomada no ritmo de migração no segundo semestre deste ano, mesmo com a maior volatilidade nos preços spot.

Fonte: DCI